Publicidade e Propaganda

PUBLICIDADE E PROPAGANDA Conceitos e Definições Embora usados como sinônimos, os vocábulos publicidade e propaganda não significam rigorosamente a mesma coisa. Publicidade deriva de público (do latim publicus) e designa a qualidade do que é público. Significa o ato de vulgarizar, tornar público um fato, uma idéia. Propaganda é definida como a propagação de princípios e teorias. Foi introduzida pelo Papa Clemente VII, em 1597, quando fundou a Congregação de Propaganda, com o fito de propagar a fé católica pelo mundo. Deriva do latim propagare, que significa reproduzir por meio de mergulhia, ou seja, enterrar o rebento de uma planta no solo. Propagare, por sua vez, deriva de pangere, que quer dizer: enterrar, mergulhar, plantar. Seria então a propagação de doutrinas religiosas ou princípios políticos de algum partido. Vemos, pois, que a palavra publicidade significa genericamente divulgar, tornar público, e propaganda compreende a idéia de implantar, de incutir uma idéia, uma crença na mente alheia. Outros conceitos: “Propagare” (latim) – multiplicar, por produção ou geração, estender, propagar. Comunicação persuasiva. O conjunto de meios destinados a informar o público e a convencê-lo a comprar um produto ou serviço. (Robert Leduc) Conjunto de atividades que visam influenciar o homem com objetivo religioso, mas sem finalidade comercial. (Mário Erbolato) Harold D. Lasswell não entende propaganda como uma simples difusão de idéias e doutrinas. Para ele, a propaganda baseia-se nos símbolos para chegar a seu fim: a manipulação das atitudes coletivas. Assim, o uso de representações para produzir reações coletivas pressupõe uma ação de propaganda. Englobando todas as considerações, podemos conceituar propaganda como “o conjunto de técnicas e atividades de informação e persuasão destinadas a influenciar, num determinado sentido, as opiniões, os sentimentos e as atitudes do público receptor”. “Publicus” (latim) – ato de divulgar, tornar público. Divulgar, tornar público sem que isso implique necessariamente em persuasão. (Rabaça e Barbosa) Estímulos não pessoais para criar a demanda de um produto ou unidade de negócio através dos meios de comunicação como rádio, TV e outros veículos teoricamente com materiais não pagos pelo patrocinador”. (Marcos Cobra) Conjunto de técnicas de ação coletiva, utilizada no sentido de promover o lucro de uma atividade comercial, conquistando, aumentando ou mantendo clientes”. (Márcio Erbolato) Qualquer forma de divulgação de produtos ou serviços através de anúncios geralmente pagos e veiculados sob a responsabilidade de um anunciante identificado, com o objetivos de interesse comercial”. (Rabaça e Barbosa) Em geral, não se fala em publicidade com relação à comunicação persuasiva de idéias. Nesse aspecto a propaganda é mais abrangente, pois inclui objetos ideológicos, comercias etc. Por outro lado, a propaganda é mais abrangente no sentido de divulgação (“tornar público, informar sem que isso necessariamente implique em persuasão”). A Lei 4.860, de 18 de julho de 1965, regulamentou o exercício da profissão de publicitário em nosso país e utiliza esses dois termos sem distingui-los. Começa por definir como publicitários aqueles que exercem funções de natureza técnica da especialidade nas agências de propaganda; define ainda agência de propaganda como aquela pessoa jurídica especializada na arte e técnica da publicidade. De todos os conceitos, tiramos as seguintes conclusões: a) Que publicidade é um meio de tornar conhecido um produto, um serviço ou um firma; b) Que seu objetivo é despertar na massa consumidora o desejo pela coisa anunciada, ou criar prestígio ao anunciante; c) Que faz isso abertamente, sem encobrir o nome e intenções do anunciante; d) Que os anúncios são matérias pagas. A publicidade é, sobretudo, um grande meio de comunicação com a massa. É paga com a finalidade de fornecer informações, desenvolver atitudes e provocar ações benéficas para o anunciante, geralmente para vender seus produtos e serviços. A propaganda serve para realizar tarefas da comunicação de massa com economia, velocidade e volume maiores que os obtidos através de quaisquer outros meios. Se entendermos o verbo vender num sentido amplo, generoso, de levar aos outros a mensagem capaz de interessá-los em determinada ação, a finalidade principal da propaganda, então, é vender. Ao convencer os pais da necessidade de vacinar seus filhos, a propaganda vende a idéia preservadora da saúde infantil. Quando aponta os proveitos do pagamento de impostos, vende uma noção que favorece o contribuinte e a coletividade. Não devemos cair no excesso de pensar que apenas a propaganda pode vender determinada mercadoria. Ela ajuda, estimula, motiva a venda. Mas sem os demais fatores essenciais: qualidade do artigo, apresentação atraente, facilidade de distribuição, condições de preço entre outros, seria insensato pensar que a mensagem publicitária alcançaria os objetivos desejados. Só poderia estar ao lado dos opositores da propaganda, apregoando que os gastos são dispensáveis ou onerosos, quem não conhece sua função e seus efeitos no mundo moderno. Sem a propaganda não teria havido a possibilidade de consumo estável que determinou a produção em série, cujo segredo é produzir em grandes quantidades, a fim de reduzir os custos unitários. Assim, o que se gasta com a propaganda é apenas uma fração mínima do que se teria que gastar por unidade fabricada, não fosse a produção em série. A publicidade acaba por ser a força motriz do sistema capitalista vigente em que o consumo é ato vital e o capital lucrado é combustível. Resumindo: a propaganda é fonte de economia para os produtores e de benefícios para os consumidores. Sem ela, o custo de venda seria alto, pois se somaria ao custo de fabricação. Mas os benefícios da propaganda não são só econômicos. A liberdade de imprensa é resultante dela e da sua ação democrática. Sem a receita dos anúncios, nem os jornais, nem as rádios ou televisões poderiam recrear os leitores e ouvintes como o fazem. Ela é também importante fator como esteio do regime democrático. Suprima-se a propaganda e desaparecerá a liberdade de imprensa que conhecemos. É pela propaganda que subsidem os órgãos de divulgação das mais variadas matizes. Graças a ela, opiniões diversas são emitidas, permitindo o confronto e a análise que precede a seleção dos melhores. A publicidade é, portanto, uma das maiores forças da atualidade. É a grande energia que impulsiona o desenvolvimento industrial, o crescimento do comércio e todas as outras atividades que se ligam direta ou indiretamente ao consumo seja de produtos, serviços ou idéias. Também tem grande importância na sugestão e orientação política e religiosa da humanidade. Cria estados de oposição, revoluciona os métodos, difunde aquilo que é mais conveniente, novo ou econômico para a comunidade ajudando na resolução de suas apetências e necessidades.

~ por leriostyle em maio 9, 2010.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: